Artigos

Published on dezembro 22nd, 2016 | by Marcelo Leme

0

11 Filmes com Cenas de Sexo e Nudez de 2016

Similar a lista do ano passado – que você pode conferir clicando AQUI -, essa traz alguns filmes que trouxeram calorosas cenas de nudez e sexo nas telonas brasileiras ao longo do ano de 2016. Longe de gratuidade, são cenas imperdíveis e pertinentes.

A lista foi baseada em filmes que estrearem comercialmente em 2016 no Brasil. Algumas produções são de 2015, no entanto chegaram aos cinemas brasileiros somente ao longo do presente ano.

Aproveitem as melhores cenas de sexo do cinema em 2016!!!

E lembrando, essa postagem não é recomendada para moralistas e/ou reprimidos.

Carol (idem), de Todd Haynes

carol

Estreou em 14 de janeiro de 2016

Premiado no Oscar 2016, o filme é constantemente lembrado em listas de melhores do ano. É uma viagem a década de 50 e tem referências a obra de Douglas Sirk, um dos maiores cineastas do melodrama americano.

Sinopse: A jovem Therese Belivet (Rooney Mara) tem um emprego entediante na seção de brinquedos de uma loja de departamentos. Um dia, ela conhece a elegante Carol Aird (Cate Blanchett), uma cliente que busca um presente de Natal para a sua filha. Carol, que está se divorciando de Harge (Kyle Chandler), também não está contente com a sua vida. As duas se aproximam cada vez mais e, quando Harge a impede de passar o Natal com a filha, Carol convida Therese a fazer uma viagem pelos Estados Unidos.

A Garota Dinamarquesa (The Danish Girl), de Tom Hooper

garota-dinamarquesa

Estreou em 11 de fevereiro de 2016

Um dos indicados ao Oscar 2016, A Garota Dinamarquesa dividiu a opinião da crítica. Mas todos concordaram que a excelente Alicia Vikander roubou a atenção, rendendo a ela o Oscar de melhor atriz. Justíssimo!

Sinopse: Cinebiografia de Lili Elbe (Eddie Redmayne), que nasceu Einar Mogens Wegener e foi a primeira pessoa a se submeter a uma cirurgia de mudança de gênero. Em foco o relacionamento amoroso do pintor dinamarquês com Gerda (Alicia Vikander) e sua descoberta como mulher.

A Juventude (La Giovinezza), de Paolo Sorrentino

a-juventude

Estreou em 31 de março de 2016

Sucesso de crítica, a nova obra do cineasta italiano Paolo Sorrentino, de A Grande Beleza, conta com algumas das cenas mais emblemáticas do cinema em 2016, priorizando a fotografia e a arte. Gravado na região dos Alpes Suíços, o filme é plasticamente admirável.

Sinopse: Fred (Michael Caine) e Mick (Harvey Keitel), dois velhos amigos com quase 80 anos de idade cada, estão passando as férias em um luxuoso hotel. Fred é um compositor e maestro aposentado e Mick é um cineasta em atividade. Juntos, os dois passam a se recordar de suas paixões da infância e juventude. Enquanto Mick luta para finalizar o roteiro daquele que ele acha que será seu último grande filme, Fred não tem a mínima vontade de voltar à música. Entretanto, muita coisa pode mudar.

Exilados do Vulcão (idem), de Paula Gaitán

exilados-do-vulcao

Estreou em 28 de abril de 2016

Única produção brasileira da lista, é visto por muitos como um autêntico vídeo-arte. Destacam-se cenas individuais numa paisagem desértica.

Sinopse: Uma mulher sofre com a perda do homem amado. Um incêndio em sua casa destrói diversos objetos, mas fotos e um diário escrito por ele são resgatados. Com esses elementos em mão, ela decide percorrer o mesmo caminho feito por ele, conhecendo as mesmas pessoas e vivendo as experiências indicadas nas fotos e nas frases do diário.

A Odisseia de Alice (Fidelio, l’odyssée d’Alice), de Lucie Borleteau

a-odisseia-de-alice

Estreou em 9 de junho de 2016

Passado quase que despercebido pelos cinemas, essa produção francesa é uma ode ao desejo feminino, a sua emancipação; e é filme de estreia da cineasta. Ariane Labed tem uma performance admirável.

Sinopse: Alice (Ariane Labed) é engenheira especializada em cargueiros. Ela trabalha muito bem e é reconhecida por sua postura profissional, sendo frequentemente a única mulher entre dezenas de homens. Alice tem um namorado norueguês, que sempre espera por ela em solo. Mas durante as viagens, ela reencontra um antigo amor, o capitão Gaël (Melvil Poupaud), e pensa que esta pode ser a oportunidade de reatar com um dos únicos homens que realmente amou.

Doce Veneno (Un moment d’égarement), de Jean-François Richet

doce-veneno

Estreou em 16 de junho de 2016

Refilmagem francesa que apresenta uma lolita, vivida por uma das grandes revelações de 2016: Lola Le Lann. É um dos filmes mais provocativos e sensuais do ano, estrelado por um grande elenco de estrelas.

Sinopse: Antoine (François Cluzet) e Laurent (Vincent Cassel) são grandes amigos que decidem fazer uma viagem juntos para a Córsega, levando também suas respectivas filhas. No entanto, o que parecia ser uma oportunidade de descanso em um lugar perfeito vira uma grande confusão quando Louna (Lola Le Lann), filha de Antoine, se apaixona por Laurent.

Um Belo Verão (La Belle Saison), de Catherine Corsini

um-belo-verao

Estreou em 7 de julho de 2016

Estreou no país primeiramente durante o Festival Varilux de Cinema Francês. Embora se passe na década de 70, traz assuntos que estão bastante recorrentes na mídia, entre eles o feminismo. Imperdível!

Sinopse: Nos anos 1971, a França está atravessando a época da liberação sexual e o ápice do feminismo. Neste contexto, Delphine abandona a sua família no interior do país para descobrir a vida intensa em Paris. Chegando à capital, conhece Carole, que vive com o namorado Manuel. Delphine e Carole se aproximam e iniciam uma história de amor.

Julieta (idem), de Pedro Almodóvar

julieta

Estreou em 7 de julho de 2016

Almodóvar, o cineasta do desejo, retorna as telas buscando referências estéticas de seus filmes noventistas. É um retorno ao passado numa obra desenrolada sobre uma trama bem costurada e melodramática, protagonizada pela ardente Adriana Ugarte.

Sinopse: Julieta (Emma Suárez/Adriana Ugarte) é uma mulher de meia idade que está prestes a se mudar de Madri para Portugal, para acompanhar seu namorado Lorenzo (Dario Grandinetti). Entretanto, um encontro fortuito na rua com Beatriz (Michelle Jenner), uma antiga amiga de sua filha Antía (Blanca Parés), faz com que Julieta repentinamente desista da mudança. Ela resolve se mudar para o antigo prédio em que vivia, também em Madri, e lá começa a escrever uma carta para a filha relembrando o passado entre as duas.

Demônio de Neon (The Neon Demon), de Nicolas Winding Refn

demonio-de-neon

Estreou em 29 de setembro de 2016

Vaiado durante o festival de Cannes, esse novo filme de  Nicolas Winding Refn, diretor de Drive, vem angariando fãs pelo mundo, tornando-se um “jovem filme cult”. É inegável que, visualmente, é um dos mais belos filmes dos últimos anos.

Sinopse: Jesse (Elle Fannng) é uma jovem de 18 anos que acaba de chegar a Los Angeles. Dona de uma beleza natural impressionante, ela tenta a sorte como modelo profissional. Após tirar algumas fotos mórbidas para um jovem fotógrafo, é contratada por uma conceituada agência de modelos. Bastante ingênua, ela passa a lidar com o ego sempre inflado das demais modelos e também com a maquiadora Ruby (Jena Malone), que possui intenções ocultas com a jovem.

A Garota no Trem (The Girl on the Train), de Tate Taylor

a-garota-no-trem

Estreou em 27 de outubro de 2016

Baseado num livro homônimo de grande sucesso, escrito por Paula Hawkins, o filme pode se orgulhar do grande elenco que tem e principalmente de sua trinca de belas e talentosas atrizes, como Emily Blunt, Rebecca Ferguson e Haley Bennett. Aliás, Haley Bennett impera!

Sinopse: Rachel (Emily Blunt), uma alcoólatra desempregada e deprimida, sofre pelo seu divórcio recente. Todas as manhãs ela viaja de trem de Ashbury a Londres, fantasiando sobre a vida de um jovem casal que vigia pela janela. Certo dia ela testemunha uma cena chocante e mais tarde descobre que a mulher está desaparecida. Inquieta, Rachel recorre a polícia e se vê completamente envolvida no mistério.

Estados Unidos Pelo Amor (Zjednoczone Stany Miłosci), de Tomasz Wasilewski

estados-unidos-pelo-amor
Estreia em 29 de dezembro de 2016

Quatro histórias diferentes de quatro mulheres condensa o roteiro desse filme realista social polonês que se passa na época da queda do Muro de Berlim. Mas as histórias falam de algum tipo de amor convertido em desespero e angústia. A narração é apreensiva, transita em anseios escondidos, investe nas intimidades de suas personagens e estas terminam por revelar-se em suas inquietações. São mulheres sem voz que exercem funções sociais engessadas. Ganhou o prêmio de melhor roteiro em Berlim e estreou durante a Mostra, em São Paulo.

Sinopse: Na Polônia, em 1990, o país vive um momento eufórico de liberdade e incerteza com o futuro. Nesse contexto, quatro mulheres decidem mudar suas vidas e lutar por suas felicidades. Agata (Julia Kijowska) é uma jovem mãe em um casamento infeliz que se refugia em um relacionamento impossível. Renata (Dorota Kolak) é uma velha professora fascinada por sua vizinha Marzena (Marta Nieradkiewicz) que tem um marido trabalhando na Alemanha. Iza (Magdalena Cielecka), irmã de Marzena, é uma diretora apaixonada pelo pai de um dos seus alunos.

E você, lembrou de mais algum? Comente aí!!!

Comments

comments

Tags: , , , , , , , , , , , , ,


About the Author

Marcelo Leme

Realizador, roteirista, curador, crítico de cinema do portal cineplayers.com e colunista semanal do Jornal da Cidade de Poços de Caldas. Trabalha no Instituto Moreira Salles. Entusiasta da sétima arte, é credenciado em festivais de cinema como a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo e o Paulínia Film Festival. Teve, em 2013, um de seus textos selecionados pela FGV (Fundação Getúlio Vargas). >>> instagram.com/marceloafleme



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Top ↑
  • ASSISTA NOSSOS FILMES DE GRAÇA

  • Parceiros

    Parceiro - Adorocinema
  • Parceiro - Centerplex
  • Inscreva-se no Youtube!